Directorio Angolano de Empresas
2015-11-06
Mais info

Angola concluiu ontem o seu exercício inaugural de mobilização de fundos no mercado internacional de capitais, através da emissão de Eurobonds, no montante de 1,5 mil milhões de dólares, “precificado” (pricing) em 9,5 por cento para uma maturidade de dez anos.

O Ministério das Finanças  referiu, em comunicado divulgado ontem, em Luanda, que a transacção reflecte a maior emissão inaugural numa única \"tranche\" realizada por um ente soberano da região da África Subsaariana, classificado com a categoria de “rating  de  non-investment grade”.
Uma delegação chefiada pelo ministro das Finanças realizou o “road-show” nos mercados da Europa e América, especificamente nas cidades de Londres, San Francisco, Los Angeles, Boston e Nova Iorque, refere o comunicado do Ministério das Finanças. 
Durante a visita, o ministro das Finanças, Armando Manuel, reuniu-se com mais de 100 potenciais investidores, a quem explicou a história económica recente de Angola e as suas perspectivas, de forma a gerar uma dinâmica positiva no processo de transacção.
Angola atraiu o interesse de vários investidores de alta qualidade, que permaneceram envolvidos em todo o processo e mostraram um grande  interesse (476 por cento acima da oferta disponível) em participar no negócio. 
A estratégia de indicação de preço inicialmente avançada a nível de rendimento na área é de dez por cento, sublinha o comunicado do Ministério das Finanças. 

Bloqueio de preço

No decurso da procura para uma carteira de encomendas subscrita, que reflectiu um apoio muito forte dos investidores,  Angola bloqueou o preço para um tamanho de 1,5 mil milhões de dólares, no momento em que o rendimento foi fixado em  9,5 por cento.
“Esta emissão inaugural é um passo extremamente importante para o nosso país e nós vemos isso como o início de um relacionamento de longo prazo com os mercados de capitais internacionais”, declarou o ministro das Finanças, Armando Manuel. 
Angola fixou um prazo de 10 anos para criar uma forte referência que combinou com a sua preferência por duração, consistente com o uso das receitas para fins de infra-estrutura. A operação foi distribuída aos investidores norte-americanos, da Europa e outros. O perfil dos investidores que participaram da transacção inclui gestores de fundos, bancos e fundos de pensões.
O Goldman Sachs International actuou como líder do consórcio de bancos que estruturou a operação (incluindo o Deutsche Bank e o ICBC International).

Fonte:JA

Voltar

Untitled Document
angocontactosUpdated